Novidades

Susep terá grupo de trabalho para analisar seguro de garantia estendida

Compartilhe:

13/03/2013 - O Globo

A Superintêndência de Seguros Privados (Susep) vai criar um grupo de trabalho para analisar o seguro de garantia estendida e coibir práticas prejudiciais aos consumidores. Essa modalidade de seguro é oferecida às pessoas na hora em que vão adquirir eletrodomésticos e aparelhos eletrônicos.

É um segmento em que percebemos que ainda há a presença de venda casada. Normalmente é ofertado pelas lojas de grande porte que acabam vendendo esse produto sem prestar informação adequada ao consumidor – afirmou Luciano Santanna, superintendente da Susep, durante o seminário “Um panorama do mercado de seguros no Brasil e as perspectivas para o futuro”, patrocinado pela seguradora Capemisa e organizado pelo GLOBO.

De acordo com Santana, o setor de seguro garantia precisa de uma nova regulamentação e todos os normativos da Susep são elaborados com pensando na proteção do consumidor.

Helio Portocarrero, ex-superintendente da Susep e atual diretor- utivo Casa de Rui Barbosa saiu em defesa do seguro de garantia estendida, considerado por ele o grande seguro patrimonial da nova classe média.

É preciso ter o cuidado de não jogar o bebê fora junto com a água do banho. O seguro garantia estendida é no meu ponto de vista o seguro da nova classe média e tem um papel importante de evitar a frustração do consumo. O que acontece quando esse grupo emergente compra a prestação e fica devedor. Se o aparelho se destrói depois do prazo de garantia de fábrica e não houver dinheiro para repor, ele vai continuar devedor. A garantia estendida assegura o patrimônio dessa nova classe média que precisa ser protegido – argumentou

Já o presidente do Sindicato dos Corretores do Estado do Rio de Janeiro, Henrique Brandão, fez sérias críticas ao produto.

O seguro de garantia estendida não é transparente. Cresceu de uma forma monstruosa e os vendedores das lojas já ganham mais vendendo seguro do que vendendo geladeiras e televisão. Mas o vendedor não é qualificado, não tem certificação do setor de seguros. O corretor tem que estar presente nessa relação, porque ele protege o consumidor e sem essa presença o consumidor fica mal informado.