Novidades

Saiba quando o seguro auto fica mais caro

Compartilhe:

05/09/2017 - Boa informação

Seguradoras que realizam análise de perfil aumentam o preço do serviço conforme características do contratante. Para quem é proprietário de veículo, a contratação de um seguro é essencial. O serviço garante a preservação do patrimônio já que, infelizmente, o risco de furto ou roubo é uma possibilidade. Além de evitar prejuízo, os seguros oferecem tranquilidade e conforto em outras situações como, por exemplo, quando há a necessidade de guincho, assistência a panes, troca de pneus, dentre outras. Porém, para fazer uma boa escolha de serviço de seguro, o consumidor deve estar bem informado. Antes de contratar uma seguradora é importante avaliar preço, tipos de cobertura e quais serviços estão inclusos para, desta forma, optar pelo melhor custo-benefício. No momento da contratação, a maior parte das seguradoras exigem que o consumidor preencha um formulário com o perfil do condutor ou condutores aptos a usarem o carro. Nestes casos, é fundamental que as informações estejam corretas para que o serviço contratado seja condizente com a real necessidade do cliente. Conheça alguns fatores que interferem diretamente no valor do seguro: 1) Idade: Pessoas acima de 26 anos pagam mais barato pelo seguro, isto porque as estatísticas mostram que os jovens entre 18 e 25 anos integram a maior parcela do público que se envolve em acidentes no Brasil.

2) Sexo: As mulheres conseguem preços mais baratos em relação aos homens pelo fato de pesquisas também apontarem que pessoas do sexo feminino são mais cautelosas ao volante e, assim, têm menor participação em acidentes automobilísticos.

3) Estado civil: Os casados arcam com menor custo em relação aos solteiros, já que há o entendimento de que são mais responsáveis e podem transportar filhos, o que contribui para a redução da probabilidade de acidentes.

4) Endereço: A localidade em que o proprietário do veículo mora é outro aspecto observado no cálculo do seguro. Regiões com maior incidência de furtos e roubos representam maior custo na hora da contratação. Cidades grandes, como São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo, costumam praticar valores mais altos do que municípios mais pacatos.

5) Garagem: Ter ou não um local para o pernoite do carro é outro fator que pode encarecer o seguro. Caso o proprietário tenha que deixar o veículo exposto na rua à ação de criminosos e às variáveis do tempo, o serviço terá preço mais alto.

6) Modelo do carro: As características do veículo também são consideradas na precificação do seguro. O custo para conserto, aquisição de peças e mão de obra impactam diretamente no valor, já que em caso de roubo ou perda total, a seguradora deve ressarcir o segurado.