Novidades

Vai reformar? Veja 6 razões para contratar um seguro para sua obra!

Compartilhe:

03/09/2020 - Casa Vogue

Além de menos burocrática, a modalidade do seguro para obras, reformas e construções residenciais tem um bom custo-benefício

Quem já fez quebra-quebra sabe muito bem que imprevistos acontecem. Acidentes em obras, além de atrasarem o cronograma, podem gerar diversos problemas não apenas ao morador mas também aos vizinhos. O exemplo mais clássico são as obras em apartamento, que não raramente podem gerar algum vazamento ou até danificar o apê ao lado. Sem contar a possibilidade de desastres naturais, como enchentes e tufões, e até as chances de roubo de materiais da obra. São situações que, além de desagradáveis, representam um belo risco financeiro. E é por isso que vale a pena prevenir: atualmente, corretoras disponibilizam uma série de seguros que cobrem obras, reformas e construções residenciais de todo o porte.

 “Uma obra é, obviamente, utada por terceiros e você nem sempre pode acompanhá-la. A maior vantagem do seguro é que todo dano que ocorrer dentro desta obra e, principalmente, um dano que eventualmente seja causado a um terceiro, estão cobertos”, diz Caio Carvalho, diretor de riscos empresariais na MDS Brasil.

Ficou interessado? Confira, a seguir, 6 motivos pelos quais vale a pena fazer um seguro para obras e reformas:

1. Prevenção

Assim como em outros tipos de seguros, os produtos que cobrem obras, reformas e construções residenciais atualmente já amparam uma grande gama de eventos que podem atrasar (ou até paralisar) a sua construção. “Temos coberturas para erros de projeto e temos a cobertura básica, que é a obra em si. Ela cobre todo o imóvel e todos os objetos que fazem parte do imóvel. Qualquer dano interno decorrente da construção ou reforma está coberto, assim como incêndios e explosões. Furto de material incorporado à obra e danos da natureza (como vendavais, por exemplo) também estão inclusos”, diz Carvalho. “E, caso a obra atrase com relação ao cronograma previsto inicialmente, o seguro pode ser prorrogado com muita tranquilidade”.

2. Cobertura para terceiros e proteção contra eventuais processos

Imagine que você bateu o carro. Sem seguro. É, dói só de imaginar o valor né? Ainda mais se o estrago for grande e o outro carro for um modelo caro. Bem, com obras e reformas é a mesma coisa. “Vamos supor que você está construindo uma casa, e acaba danificando a rede de gás do condomínio. Ou racha a parede do vizinho, e justo nesse local existia um mármore caríssimo. Ou então imagine que uma martelada errada derrubou a TV do apartamento ao lado. Você não tem controle sobre esses riscos”, exemplifica o diretor da MDS.

Por isso, existe um tipo de cobertura para reformas, obras e construções especificamente voltada para proteger as demais pessoas e instituições de eventuais danos causados pelo seu projeto: é a chamada “cobertura de responsabilidade civil”. E, como já deu para ver nos exemplos, essa proteção pode ser muito valiosa. “Tudo o que envolve responsabilidade civil é bem interessante, pois são as coberturas que compõem o custo relativamente baixo do seguro e atuam nas áreas mais sensíveis, financeiramente falando, para quem está fazendo uma obra ou construção”, completa Carvalho.

3. Custo baixo em relação ao valor da obra

Obviamente, os custos para o seguro dependerão do valor da obra ou reforma e do quanto ela durará. Para se ter uma ideia: quando pensamos em uma reforma de 4 meses, orçada em R$ 200 mil, o seguro sai, em média, por R$ 700. Alguns tipos de seguro saem por volta de R$ 1000, mas em geral são relativos a obras na faixa de R$ 500 mil que duram um ano. Fazendo um cálculo proporcional, estamos falando de valores que não chegam a 1% do custo total da obra ou reforma, ficando por volta de 0,02% a 0,03%.

4. Valores de cobertura abrangentes

Segundo Caio Carvalho, a regra geral é que um seguro para obras e reformas cubra estragos no valor total da obra. Ou seja: se você está fazendo uma reforma de R$ 100 mil, o seguro cobre eventuais danos (a você e a terceiros, no caso das coberturas de responsabilidade civil) até essa faixa. Mas existem até exceções: para obras comerciais, por exemplo, existe a possibilidade de ter uma cobertura bem maior. “É muito comum fazermos seguros de reformas de pequenas lojas em shopping centers. São obras que saem por volta de R$ 50 mil, mas a cobertura de responsabilidade civil que conseguimos oferecer chega a R$ 1 milhão”, diz o diretor da MDS. Por isso, vale a pena pesquisar e ver se não é o caso de incluir um seguro no orçamento da sua obra!

5. Menos burocracia

Diferentemente de outros tipos de seguro, os produtos que cobrem obras e reformas costumam ser bem menos burocráticos e, para projetos residenciais, raramente exigem vistorias. “A seguradora tem o direito de fazer a vistoria, caso queira, mas, na prática, raramente é feita a vistoria para uma obra residencial. As exceções são projetos muito inovadores, com técnicas construtivas muito diferentes. Além disso, é um processo zero burocrático, o seguro é emitido em um dia”, diz Carvalho.

6. Garantia após a obra

Além dos riscos envolvidos durante a ução das obras, existem possíveis danos causados pelo quebra quebra e pelas construções que só serão sentidos com o uso daquele imóvel. Por isso, existem seguros para obras e reformas que cobrem especificamente o período após a conclusão das atividades! Em geral, são coberturas que duram alguns meses após o projeto ser finalizado e cobrem todo tipo de dano decorrente daquela obra.